• TEMPLO.cc

Marcas esclarecidas tomam partido



As expectativas dos consumidores em relação às marcas vêm mudando ao longo deste ano. Segundo o relatório publicado pela RepTrack, agora, a reputação de uma marca está mais relacionada ao seu posicionamento frente às questões éticas do que ao produto que vendem.


O estudo levou em consideração os seguintes critérios:

. Marcas corporativas

. Presença global

. Receita anual acima de U$ 2 bilhões

. Familiaridade acima de 20% em 15 países


// Resultados principais:


1. A reputação da corporação é mais importante do que nunca. Em 2020, uma reputação excelente influência na decisão de compra em 78% dos consumidores globais.


2. Enquanto a reputação se torna um fator importante, cresce o número de empresas que ficam "em cima do muro" em relação às questões sociais. Mas 54% dos consumidores está menos inclinado a comprar delas.


3. Corporações responsáveis também ganham em competitividade. Fatores como governança, ambiente de trabalho e cidadania são definidores da reputação de uma empresa. A maioria das empresas que trabalhou para melhorar esses fatores apostou no impacto social, na ética empresarial e no modo como tratam seus colaboradores.


4. Consumidores globais pedem autenticidade: comunicar seu negócio e propósito de maneira autêntica traz visão positiva da sua organização.


5. Estratégia de mercado local: as marcas que ficaram no topo da pesquisa criaram estratégias específicas para diferentes economias ao redor do globo.


6. A reputação das organizações é melhor naquelas em que o CEO se posiciona frente às questões sociais.


// Ética, transparência e futuro do trabalho


Felizmente, já vemos grande pressão do público para que empresas se engajem em questões sociais e ecológicas.


Hoje, acompanhamos o crescimento de muitas marcas sustentáveis e a reinvenção de empresas centenárias que precisaram se adequar às novas demandas do mercado frente às questões sociais e climáticas.


Estamos vivendo uma revolução da transparência e isso está balançando muitas empresas que já se consideraram intocáveis. Esse movimento muda o sentido do que é uma marca porque as expectativas de consumo vêm sendo redefinidas. Os consumidores querem ter mais conhecimento sobre a cultura das empresas que eles financiam: processos, valores e seus colaboradores.


Mudar a cultura e o modus operandi de organizações de milhares de pessoas é um desafio que demanda mais do que eventos e comunicação interna. Estamos falando de mudanças sistemáticas de comportamentos individuais. Estes, dependem de mudanças profundas no design organizacional e nas respectivas cadeias de incentivo. Para tirar gigantes da inércia será preciso combinar ferramentas e processos do design estratégico com ferramentas de modelagem da economia comportamental.


Essas configurações sociais e corporativas intensificadas em 2020, nos levou a uma série de aprendizados. Certamente, a urgência de encarar as novas tendências como prioritárias no ecossistema corporativo é um deles.


UM NOVO MUNDO É POSSÍVEL

  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Spotify
  • Branca Ícone Instagram

FERRAMENTAS

Imprensa

Monges

SOMOS CRIADORES

Malha.cc

Journey.cc

RJ Criativo

NEWSLETTER