• TEMPLO.cc

10 Competências para Navegar em um Mundo VUCA

O mundo está em uma transformação cada vez mais acelerada. Conheça as habilidades que podem te ajudar a navegar nesse mar de incertezas e complexidades!



Você sabe o que significa viver em um mundo VUCA?


O termo pode soar como algo novo, mas a verdade é que ele representa um cenário altamente complexo, no qual as organizações vivem há décadas — e vão continuar vivendo de forma ainda mais intensa, a medida que a tecnologia avança e as exigências do consumidor e do mercado se tornam mais pontuais e específicas.


O termo VUCA nasceu do acrônimo das palavras em inglês Volatility, Uncertainty, Complexity e Ambiguity (em português: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade, respectivamente). O conceito foi empregado pelo U.S Army War College na década de 90 para explicar o mundo no cenário pós-Guerra Fria.


Apesar do contexto militar, a expressão traduz muito bem os desafios enfrentados no âmbito empresarial, especialmente no universo digital. Com o surgimento de tecnologias disruptivas e novos modelos de negócios, as organizações têm desafios ainda maiores para vencer no mercado e se destacar entre os concorrentes.


Para atuar nesse contexto de complexidade, as empresas precisam entender como criar habilidades mais assertivas para lidar com este cenário. O Fórum Econômico Mundial realizou um relatório sobre o futuro do trabalho e elencou as 10 habilidades mais importantes:

  1. Resolução de problemas complexos

Essa capacidade é um pacote de competências multidimensional, com alto nível de abstração. É a coleção de processos e de ações fundamentais para resolver problemas mal definidos, o que não pode ser alcançado com atividades triviais de rotina. São necessárias combinações criativas entre conhecimento e um amplo conjunto de estratégias. Esse processo combina aspectos cognitivos, emocionais e motivacionais em situações nas quais há muita coisa em jogo.

De acordo com o relatório do Fórum Econômico Mundial, nos próximos quatro anos, 36% das atividades em todos os setores da economia deverão exigir habilidade para solução de problemas complexos.


2. Pensamento crítico


O pensamento crítico é definido por pensamentos estruturados, pela capacidade de comunicação clara, de fazer as perguntas certas, de reconhecer o problema atrás do problema e de olhar para uma questão sob diferentes perspectivas.

No relatório publicado pelo Fórum Econômico Mundial, também foi incorporado o uso da lógica e da racionalização para identificar forças e fraquezas, trazendo soluções alternativas para problemas.


3. Criatividade


Profissionais criativos terão a oportunidade de se beneficiar destes cenários de rápidas transformações de produtos, tecnologias e modos de trabalho. Lembre-se: os robôs perdem para nós em criatividade. Ainda não conseguem ter ideias inusitadas e inteligentes ou desenvolver alternativas criativas para resolver problemas. Por isso, esta habilidade agora faz parte das três habilidades mais destacadas para o ano de 2020.


4. Gestão de pessoas

Segundo o Fórum Econômico Mundial, a habilidade mais destacada para a função de um gestor é a capacidade de motivar, desenvolver pessoas e de identificar talentos.


5. Coordenação

A capacidade de coordenar as próprias ações de acordo com as ações de outras pessoas foi a segunda habilidade mais destacada para o mercado de trabalho em 2015, e agora aparece em quinto lugar nas previsões de demanda do mercado de trabalho até 2020.

Vale lembrar que trata-se de uma competência crítica para líderes e, para os demais colaboradores, a demanda por essa qualidade aumenta a medida em que a colaboração se torna vital para lidar com a crescente complexidade dos cenários econômicos.


6. Inteligência Emocional

Ainda ausente no currículo acadêmico, a gestão das emoções é fundamental a profissionais. Segundo o economista espanhol José Ramón Pin, professor da IESE Business School, a gestão adequada das emoções é uma habilidade que pode fazer profissionais passarem pela crise com mais serenidade e sem perder o “espírito de luta”. A importância dada à inteligência emocional é mais recente no imaginário corporativo. A competência não aparecia nas previsões de habilidades exigidas pelo mercado em 2015 e, agora, ocupa o sexto lugar na lista para 2020. Um dos aspectos que deve ser levado em consideração é o fato de que a inteligência artificial ainda passa longe dos aspectos de gestão emocional.


7. Capacidade de julgamento e de tomada de decisões

Segundo o professor britânico Dave Snowden — fundador da Cognitive Edge, uma rede de pesquisa internacional, e criador do Cynefin Framework, uma metodologia específica para nortear decisões — um bom líder deve buscar tomar as melhores decisões em ambientes de alta complexidade.


8. Orientação para servir

A inclinação para ajudar os outros é uma capacidade essencial para a colaboração, que é chave para o aumento da criatividade e da inovação dentro de uma empresa. Também é uma capacidade importante para se ter uma visão do cliente, no sentido de desenvolver soluções que sejam capazes de realmente criar uma proposta de valor.


9. Negociação

Relacionar-se com pessoas é um constante negociar. Por isso, habilidades de negociação e conciliação de diferenças são importantes para todos os profissionais.


10. Flexibilidade cognitiva

Segundo o relatório do Fórum Econômico Mundial, Flexibilidade Cognitiva é a capacidade de criar ou usar diferentes conjuntos de regras para combinar ou agrupar as coisas de diferentes maneiras. Em um cenário de mudanças constantes, esta é uma capacidade-chave.

UM NOVO MUNDO É POSSÍVEL

  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Spotify
  • Branca Ícone Instagram

FERRAMENTAS

Imprensa

Monges

SOMOS CRIADORES

Malha.cc

Journey.cc

RJ Criativo

NEWSLETTER